Já que a gente não vive um conto de fadas...


Quando éramos criança, os contos de fadas não somente nos divertiam ou faziam com que desejássemos nos fantasiar de princesa no carnaval, mas também nos ensinavam: não falar com estranhos ou desconsiderar a beleza exterior e valorizar o que a pessoa é por dentro. São lições que precisamos ter em mente principalmente quando crescemos. Mas o que até hoje eu não entendo é por que a Cinderela ficou quieta ao ver o príncipe testando o sapatinho nas "irmãs" dela mesma sabendo que o sapato lhe pertencia? Por que ela esperou que a chamassem  para prová-lo? Por que ela não foi?

Os contos de fadas nos ensinam algo errado. Eis o problema: sempre tem um príncipe para salvar o dia. O príncipe procurou o vilarejo todo atrás da Cinderela; a Branca de Neve estava dormindo e quando acordou, tinha um boy magia para ela, a Tiana beijou um sapo e ele virou um homem encantador. E até a Bela se apaixonou por uma fera que se tornou mais um perfeito. Mas como assim?

O assunto me veio depois do episódio 1x07 da série Reign (CW) - assistam, é a série mais perfeita de todas - em que Catherine, a rainha, diz a princesa : "aprendi a nunca esperar o resgate de um homem". Isso com certeza é algo que os contos de fadas esqueceram de citar, uma vez que é o príncipe que sempre salva a "pobre" princesa.

E é exatamente isso: Ao invés de ficar parada, esperando socorro, vendo a vida acontecer ou o que seja, é preciso se levantar e fazer isso valer. Nós não vivemos em um conto de fadas, precisamos nos virar e revirar sem esperar que príncipe nenhum apareça. Não devemos "dormir" e esperar que nosso amor verdadeiro venha como mágica, ou ficar presa em alguma situação e só começar a pensar em se libertar depois que o príncipe surgir e muito menos esperar que um sapo seja, na verdade, o homem que a gente sempre sonhou.

Não estou dizendo que o príncipe encantado não existe, ele existe! Mas já que a gente não vive um conto de fadas, precisamos de um esforcinho para achá-lo, até porque há muitos fakes dele por aí. E enquanto a gente não acha, aproveitemos a floresta encantada (ou a vida) sem colocar o fim da história como a parte principal dela.

Mas para não estragar com a infância de ninguém, sabe o que ainda dá pra tirar de lição dessas princesas e seus príncipes que aparecem magicamente? Elas não passaram a história esperando nem se lamentando porque não tinham ninguém. A verdade escondida por trás de toda essa loucura de amor é que ele aparece quando a gente menos espera. E não é nada como a gente já sonhou um dia, pode acreditar que é bem melhor.

Sendo donas do nosso próprio "felizes para sempre" vamos vivendo e contando a nossa história, de uma princesa que vivia em um castelo e foi feliz a partir de quando percebeu que é ela quem faz a própria felicidade, não um príncipe que um dia pode aparecer.


2 comentários:

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design