Eu e a solidão nos tempos virtuais


Atualmente, somos convidados a fazer parte de uma rede de relações que, embora não importando muito, ocupa grade parte de nosso cotidiano: os relacionamentos virtuais. Podemos até contabilizar a quantidade de amigos nas redes sociais, mas destes, e aqui começa nossa reflexão, quais são presenciais ou estarão ao nosso lado para grandes aventuras e vivências?

Não resta dúvida de que as relações na mídia tem seu papel, pois favorecem encontros e reencontros, diminuem distâncias, mobilizam, aliviam saudades e facilita a comunicação. Nessa caminhada, a busca é para ter seguidores, sentir-se aceito e interessante. Mas às vezes o resultado de tudo isso é frustração e solidão, quando percebe-se que a realidade é bem diferente, e que para as relações persistirem, é necessário construí-las.

Ainda assim, a solidão bate à porta de muitas pessoas cercadas de “amigos” virtuais. Nessa relação, a superficialidade é a definição mais apropriada para esses companheiros que são amigos sem olhar nos olhos, sem sentir o calor humano, sem oferecer e dar o ombro nos momentos difíceis. Por esses motivos, as amizades virtuais jamais serão capazes de substituir as reais, e mais ainda, não reconhecerão a grandeza e a preciosidade da presença das pessoas em nossa vida.

A nossa verdadeira popularidade não está na quantidade de seguidores ou de pessoas que nos “assistem” ou “curtem”, mas na relação recíproca que descobrimos e encontramos em cada rosto que se revela, em cada contato solidificado, em cada amigo(a) que podemos compartilhar os momentos importantes da vida.

Quando pudermos sentir o abraço abrasador, presencial e insubstituível daqueles que contactamos, estaremos diante de verdadeiras trocas afetivas, pois “quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro”! Assim, não haverá espaço para a solidão!

Deixando solto, o amor alcançará!

Rita Reis é psicóloga. Sua coluna "Deixando Solto" traz temas da realidade que nos leva à reflexão. Mande sua sugestão de tema em contato e no campoassunto  coloque "Para: Ritinha - sugestão de tema". Saiba mais sobre Rita na página da equipe e acompanhe o blog para ver mais textos desta diva!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design