Ciúme: merece uma reflexão!


O ciúme é um sentimento tão natural ao ser humano como a raiva ou o tédio, e está sempre voltado para quem o sente. Em algum momento de nossa vida, estaremos nós, tomadas por senti-lo bem de perto, diferindo apenas pelas razões e emoções que são particulares a cada uma.

Esse sentimento tem seu lado positivo, quando se refere ao cuidado por alguém, e pode ter sua conotação negativa, quando entra em cena o egoísmo e o controle excessivo, até se transformando em um sentimento doentio, que maltrata, faz sofrer e destrói as relações.

O ciúme pode adquirir um significado mais amplo, não necessariamente associado ao sentimento partilhado entre pessoas, podendo ser também relativo ao apego por algum objeto, a exemplo de algo que colecionamos e não gostamos de partilhar ou emprestar esse “objeto de amor”.

Quem sofre de ciúmes geralmente possui falta de confiança no outro e em si próprio. Ocorre quando há distorção do sentimento de zelo e cuidado para com uma determinada pessoa, e se manifesta por instabilidade na relação. “Pode ser considerado normal, quando ocorre em determinadas situações, pode ser tensional, quando provoca sentimentos desagradáveis como angústia e fragilidade ligados à relação; e ainda patológico, quando a insegurança proporcionada pelo ciúme promove reações e certezas infundadas.”

O ciúme também pode ter relação com a inveja, onde esta não envolve o sentimento de perda presente no ciúme. Mas ambos provocam desconforto e raiva e atormentam aquele que deseja algo que outra pessoa tem. Quanto mais baixa for a autoestima, mais propensa está a pessoa de sofrer com um dos dois sentimentos, pois eles nos afastam do cuidado com a nossa própria vida. Sendo enfrentados, e isso é o que nos cabe, podem levar a atitudes mais seguras e positivas, como a autoconfiança.

Saibamos aproveitar nossas relações na certeza de que, vivenciando qualquer que seja o sentimento, o importante é não desviar do foco: para amar e confiar no outro, primeiro precisamos nos amar e ter amor próprio. Essa é a porta de entrada para o sucesso de qualquer relação: o respeito mútuo, o amor partilhado, a confiança... e que seja infinito enquanto dure! Deixando solto, o amor alcançará.

Rita Reis é psicóloga. Sua coluna "Deixando Solto" traz temas da realidade que nos leva à reflexão. Mande sua sugestão de tema em contato e no campoassunto  coloque "Para: Ritinha - sugestão de tema". Saiba mais sobre Rita na página da equipe e acompanhe o blog para ver mais textos desta diva! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design