Ficam a saudade e as lembranças


Se às vezes pode ser difícil falar das coisas da vida, imagina como não é complicado entrar em um assunto tão complicado quanto o fim dela. Há uma semana estamos de luto. Não faço nenhum post por esse tempo propositalmente, por um silêncio que permita não só a mim, mas também o blog, sentir um pouco. E isso cabe sim ao blog porque minha perda tinha muito relacionado com o Divar.

Na ultima sexta-feira, 17 de outubro, o céu ganhou mais um anjinho, ou melhor, um anjãaaao! Foi uma notícia um tanto de repente.. o falecimento de Túlio Medeiros, um verdadeiro sorriso que fez da minha vida mais feliz desde que eu era criança. Mas não convém falar de tal fato simplesmente por falar... Tem todo um contexto; primeiramente, se não fosse por ele, não tenho ideia de como eu teria conseguido colocar em realidade o Divar. Ele quem me ajudou com muita coisa que não entendia (e ainda não entendo), e sempre estava disponível para quando desse algum problema ou eu tivesse alguma dúvida com o blog, por isso resolvi homenageá-lo com esse post.

Mas não era só de tecnologia que ele tinha domínio... Claro que ele era um mago no assunto, e brilhava os olhos quando via qualquer coisa da Apple (o relógio dele era um iPod! Ele me deu um igual e sempre que me via me contava as novidades do aparelho, quando ganhei o iPhone ele me indicou milhares de apps para baixar, dentre muitos outros episódios envolvendo a marca! kk) mas se tinha algo que ele realmente entendia era de falar exatamente aquilo que a gente precisava ouvir. Tanto em momentinhos de reflexão que ele participou no nosso movimento de igreja, quanto em conversas em que, seja feliz ou triste, ele me ajudou.

Aprendi tanta coisa com ele... uma só para marcar aqui, que envolva tanto a tecnologia quanto seus sábios conselhos é algo que uma vez falou e me chamou muita atenção (época do orkut kkk): ele revolucionou meu conceito de amigo. Muito além daquele que curte minhas fotos nas redes sociais, manda recadinho no meu aniversário ou opina sobre meu relacionamento, amigo vai na sua casa pra olhar as fotos, ele liga no seu aniversário que ele lembrou por carinho, não por aviso de rede social, e que escuta de você como está seu relacionamento. E isso ficou marcado em mim, tanto que falo disso na minha descrição do blog.

Por fim, fica cravada uma certa palavra que me lembra ele de uma maneira um tanto interessante: coletivo. Dá pra ouvir a voz dele falando isso, e todo mundo correndo para um abraço. E foi essa a marca que ele deixou: toda a sua alegria e carinho pelas pessoas e pela vida. E, claro, sempre fica impregnado algo na nossa cabeça diante de situações específicas como essa, e pra mim, ficou a reflexão de qual a marca que estou deixando por onde eu passo; qual legado, não material, mas o sentimento que eu desperto com meu olhar e meu jeito de levar a vida. Que fique essa reflexão para vocês também! E viva a vida! Pois agora ele está juntinho de Jesus, alegrando o céu.

"Cristão não morre, cristão volta pra casa"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design