Ser resiliente: eis a questão!


Parece que está na moda, ou melhor, na boca do povo, o termo “ser resiliente”.  Até ouvi essa semana uma jovem dizendo que seu maior desejo é ser resiliente. Mas o que é isso?

Resiliência é um atributo da personalidade que pode ser desenvolvido. São resilientes as pessoas que passam por dificuldades e conseguem ter reação de superação, de fortaleza, onde os desafios da vida não as derrubam. Mas é preciso aprender a administrar as emoções, controlar os impulsos, ser otimista, ter a capacidade para identificar a causa dos problemas que acontecem, não guardar palavras que podem ser ditas e, acima de tudo, ser verdadeiro com seus próprios sentimentos.

Existem alguns estudos que procuram explicar certas características das pessoas resilientes, como um potencial genético que faz com que ela seja mais resistente que outras, as experiências na  infância, despertando a capacidade de superar as frustrações, o relacionamento familiar, que propicia um ambiente favorável ao aconchego e aceitação, mas acima de tudo, a convicção de que estamos na vida para sermos felizes, e que nossas experiências positivas e negativas oferecem alicerces para aprendermos a conviver com as adversidades da vida, com os problemas inesperados, com as perdas irreparáveis, com os medos sufocantes, com a alegria contagiante que incomoda, tornando cada aprendizado um novo sabor a experimentar, pois “se não é bênção, é lição!”

Embora a resiliência seja pessoal, precisamos de apoio para desenvolvê-la. Podemos contar com o estímulo de pessoas próximas, que nos incentive a suportar e superar as dificuldades, e também podemos contar com a ajuda do Psicólogo, pois o termo em Psicologia significa retornar ao estado que era antes do problema se instalar. Esses problemas podem ser desde o fim de um relacionamento até a perda de alguém muito querido, pois em qualquer situação precisamos enfrentá-la e seguir adiante, aprendendo a construir novos caminhos a partir do enfrentamento dessas situações de choque. Nesse sentido, um fator muito importante é o autoconhecimento e a decisão de escolher a solução, e não ficar no problema.

 Portanto, aprendamos que ser feliz é uma conquista. E decida, caminhe, busque superar-se e superar seus problemas, pois deixando solto, o amor alcançará!

Rita Reis é psicóloga. Sua coluna "Deixando Solto" traz temas da realidade que nos leva à reflexão. Mande sua sugestão de tema em contato e no campoassunto  coloque "Para: Ritinha - sugestão de tema". Saiba mais sobre Rita na página da equipe e acompanhe o blog para ver mais textos desta diva! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design