Que comecem os estresses!


Nas últimas duas semanas e passei por um período muito estressante. Eram as provas da faculdade, tinha que dar conta da minha loja, contas pra pagar, ensaios mais intensos, deu uma doida na minha casa que tive que jogar as roupas em uma mala e vir pra casa da vó, dificuldade de dormir fora do quarto e por aí vai. E os sinais de estresse logo aparecem em mim: uma dor estranha perto do peito, manchas roxinhas na pele, vontade (necessidade) de comer chocolate e outras besteiras, dores de cabeça no fim do dia, uma irritação sem motivos e uma vontade imensa de sair correndo e gritando. 

Os sintomas variam de pessoa para pessoa, mas todo mundo passa por isso. Todo mundo tem seus dias ruins, cansativos, estressantes e pesados. Mas então a semana passou, as provas também, tive o fim de semana pra dormir bem e resolvi voltar a minha dieta normal. E tudo foi bem, mas ao longo do dia, senti aquela necessidade estranha de estar estressada. Em outras palavras, e só queria chegar em casa do ensaio com dor de cabeça, pedir um sanduíche e esperar ele chegar enquanto escrevia um texto bem revoltado e madrugar rolando na cama pra no dia seguinte reclamar do meu cansaço.

Não me senti um Et. Isso é mais normal do que se imagina. Eu já tinha observado isso algumas vezes na minha vida, mas não tão de perto. Os adultos gostam de estresse. Gostam de correr, tomar paracetamol e rivotril, gostam de contar para todo mundo o que se está passando e comer besteiras por culpa dessa vida louca que escolhemos viver. E pra mim... Bem vinda ao mundo dos adultos! 

Estresse é motivo pra se gabar uma vez ou outra. Mas não deveria, não é mesmo? Quando estou passando por um período assim e conto para alguém sinto como uma competição: "Quem está mais estressado?", e a resposta... aquele que mais quer estar! 

O estresse é uma resposta do organismo para determinados estímulos frutos de situações desafiadoras. A vida urbana, em geral, é cercada de desafios e obstáculos e nós temos que nos virar para dar conta de viver bem diante de cada um. Como (ainda) não invetaram nenhum curso de como não se estressar com problemas, precisamos descobrir sozinhos nosso próprio jeito de manter-se bem. Mas se manter bem, não é não se estressar, e sim, saber se estressar. Na verdade, é preciso buscar um equilíbrio. O estresse, até certo ponto é saudável, pois ele nos faz capaz de reagir às situações que aparecem no nosso dia-a-dia. Mas a partir do momento que nos tira a tranquilidade e esquenta a cabeça, ele começa a fazer mal.

A solução (como tudo na vida) se resume ao autoconhecimento. Se conhecer bem é importante para saber identificar as causas do estresse, quais são as reações e exercitar o autocontrole. Bom mesmo é ter uma vida tranquila, equilibrada e saudável. Deixar pra lá toda essa pressão de estresse que diminui nossa qualidade de vida e abrir os braços para um viver mais cheio de bobeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design