Distante de mim


Eu preciso ficar sozinha. Não pra sempre, nem só por hoje, mas por um tempo indeterminado. Estou tão sufocada que estou carente. Tão cheia de tantas coisas, mas vazia do que eu preciso. E a cada segundo que não consigo me livrar de toda essa bagunça na minha vida, eu sinto ainda mais a necessidade de me fechar; isolar um pouco meu mundo de todos os outros. E eu tento, eu juro, mas não há espaço pra mim porque há todas as outras tralhas.

Meu fechar os olhos às vezes é uma iniciativa de alguma parte de mim que ainda consegue ver claro, porque agora quase tudo está borrado, nada é nítido. Eu troco os passos, junto as folhas, mexo as paredes, pulo as notas e tudo isso em pró de ignorar alguns sentimentos que eu não deveria estar sentindo, mas eu não consigo descartar o fato de que eu queria ficar só.

Estou tão longe. O barulho me incomoda, os movimentos doem e o coração está tão apertado que chega a sufocar. Mas vai, vai ficar tudo bem. Estou tão longe. Me parece uma distância infinita de mim. Estou morrendo de saudades de mim. Me quero. Mas tudo isso passa uma hora, e no final eu quem fico. Toda essa distancia passa.

Não quero mais olhar ao redor, não quero me mover nem andar em alguma direção a qual eu já tenha ido. Quero meu mundo. Quero me afastar da beira e ir fundo em mim, e pra isso, preciso conseguir ouvir meu próprio pensamento sem que nenhum ruído fique no meio do caminho, sem que ninguém me diga quem eu sou ou que coisa alguma me impeça de escutar quem eu sou - e quero ser.

Só um pouco de paz pra levar pro dia passar bem. - Cícero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design