Nova estação


Quando me perguntaram qual estação do ano é a minha favorita fiquei sem saber o que responder. Primeiro, porque moro em uma cidade em que 365 dias por ano é predominantemente verão, então nunca parei pra viver, rigidamente, qualquer outra época. Segundo, pelo simples fato de que eu nunca havia parado pra pensar em ter uma preferência de dias para se viver. Talvez até por viver eternamente de baixo do sol mesmo, mas o fato é que nunca refleti sobre isso.

"É que eu gosto de tantas coisas" e fica difícil ter que escolher uma só época para acordar e rir sem motivos, só pelo clima ou pela paisagem (se eu tivesse esse prazer por aqui. Mas conheço quem acha ótimo viver em um lugar assim; não que eu esteja reclamando, mas eu bem que gostaria de sentir uma brisa diferente de 4 em 4 meses).

Ah, mas eu gosto muito das flores da primavera. Gosto também do fim de uma tarde de um verão - o sol, dando adeus. Eu gosto do frio do inverno e gosto da suavidade do outono. Gosto de um pouco de cada um. Fica difícil escolher assim. Se gosto das histórias de amor de verão e gosto dos contos de outono e gosto das poesias de inverno e das crônicas de primavera, não posso escolher um.

Vou aproveitar que vivo em um lugar inteiro (sem 4 em 4 meses de metades) e criar minha própria estação que dure o ano todo e aconteça dentro de mim. Nos 12 meses eu floresço. Nos 12 meses eu me encolho no cobertor. Nos 12 meses eu me sento na varanda pra olhar o sol se pôr. Nos 12 meses eu coloco a cabeça pra fora da janela do carro pra sentir a brisa suave em meu rosto. Sou todo o pouco de tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design