Como deixar de gostar de alguém?


Eu ainda gosto dele. Eu gosto. E não, eu não sei o motivo. Sei lá se existe um. Precisa existir? Eu simplesmente não enxergo nenhuma razão plausível para essa chama em mim. É irracional. Sinto muito para mim mesma. Seu coração, sua cabeça, seu corpo, seu instinto, seu tudo é irracional. Tanta evolução que seu passado teve e pra quê? Pra se apaixonar pelo primeiro idiota que aparecesse com um violão na sua frente. Bravo.

Sou essa mesmo. Essa louca que ta aí 03:29 da manha pensando em um cara que nem lembra da sua existência. Ou se lembra, não liga. E também não sonha, essa hora todas as pessoas que não estão apaixonadas estão dormindo. Acordada, só eu; e o meu irmão no quarto ao lado falando no telefone com a namorada por horas (apaixonado).

Recentemente eu perguntei a ele o que de errado tinha comigo. Ele riu. Essa foi uma resposta boa. Mas obriguei a ele a falar algo que me ajudasse. Rir ajuda muito, mas naquele caso não. Ele disse que eu precisava de alguns consertos.

O primeiro foi entender melhor a mente masculina. Droga de mente masculina! Os homens tem cérebro? O problema é que as mulheres pensam com o coração. E os homens... Bem... São os homens. Eles não precisam pensar, só agir. Homem quando pensa dá em merda. Tem que ir lá e fazer, precisa pensar não.

Meu irmão disse que não era assim. De toda forma, seu segundo conselho foi: não tenha medo dos seus sentimentos. Não sei onde ele foi buscar essa, mas isso é tão comum que dói. Mulher tem medo de se machucar. É quase como uma indicação na etiqueta: cuidado com os sentimentos. Eu sou assim também. Não gosto de demonstrar, nem criar expectativa nem sentir demais. Não tem nada de errado nisso.

Ele discordou, claro. Ele disse que homens gostam de quando as mulheres sabem gostar deles. Que porcaria é essa de não saber gostar de alguém? Então ele disse que eu precisava demonstrar mais meus sentimentos. Só com a falatória dele, eu já me sentia como uma pessoa com as duas pernas, o pescoço e o braço direito quebrados. Ou seja, coração em mil pedaços.

Depois, meu irmão disse que eu deveria parar de pensar que nem filme de romance: o cara vai me ver, se apaixonar, fazer de tudo para ficar comigo e formaremos um casal lindo. Já evoluímos dessa fase. Quer alguém? Faça por onde. Eu disse a ele que fazia, ora. Eu já fiz de tudo para demonstrar para o cara que eu to a fim dele. Ele que não queria ver.

Relembrando o conselho da mente masculina: homens são desligados.

Não se eu fosse bonita, perfeita e ele realmente me quisesse, não precisava nem se ligar. Ele até iria me ligar, ele tem meu número. Meu irmão disse, então, que eu deveria melhorar minha confiança. Mas eu não falei nenhuma mentira.

O ultimo conselho foi: esqueça ele. Esse cara não vale a pena. Esse doeu, mas foi o que eu mais ouvi desde que esse amor platônico começou. Essa droga de amar e não ser correspondido e não conseguir nada e ainda sim sonhar.

Mas, ok. Como vou esquecer uma pessoa que faz meu coração funcionar melhor? Não é que eu pense nele 24h por dia. O negocio é que eu odeio pensar nele por 5 meros segundos. Mas eu penso. É como uma assombração que vai e volta na minha vida. E quando vem, chega pra causar mesmo. É ridícula essa fascinação por alguém que me ignora. Ele é péssimo. Não é bom pra mim. Eu já aceitei a ideia de não estar exatamente apaixonada por ele, e sim, pelo que minha cabeça criou dele. E já trabalhei essa distorção na minha vida.

Mas eu sempre fui assim: eu nunca vou saber se não tentar. Quando eu quero alguma coisa eu prefiro quebrar a cara do que perder de vista sem saber como seria meu "era uma vez". Sou louca mesmo, acho que deu para perceber no decorrer da narrativa. Sei lá. Queria que isso de gostar de alguém fosse mais fácil. Ou que, pelo menos, o difícil fosse para ele.

Estou, no momento, aguardando um conselho mais tangível do que os do meu irmão. Aceito sugestões: como deixar de gostar de alguém?

2 comentários:

  1. Goste de si mesma! (Clichê) rs. Mas quando passamos a gostar de nós, não aceitamos migalhas de ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arrasou! Sem dúvida alguma, o amor-próprio é a maior das paixões que podemos ter na vida!

      Excluir

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design