Pressa de ser feliz


As pessoas têm pressa. Têm pressa pra chegar aonde querem, pressa de ser feliz, pressa pra amar, pressa serem independentes, pressa para voltar, para  para viverem, pressa pra serem. É incrível como o mundo da velocidade em que vivemos nos desperta um grande desejo de apressar os passos da nossa vida, e ao mesmo tempo torná-la cada vez mais longa. Me pergunto se estas não são coisas tão antagônicas. Tudo bem que o mundo é rápido, é eficiente e ágil e a tecnologia tem quase 100% de culpa nisso. E é uma coisa boa! Mas não somos máquinas. Temos o nosso tempo de viver.

O que me fez parar e realmente refletir sobre o assunto foi observar a necessidade cada vez mais comum de antecipar todas as coisas da nossa vida como se isso fosse bom. Talvez isso seja uma característica natural do ser humano. Penso assim, pois percebi nas crianças a pressa pra crescer. Começamos no desejo fervoroso de fazer as coisas que os mais velhos fazem: ter um telefone, usar sapato alto, dar o primeiro beijo, ir para a primeira festinha sem os pais, ter o primeiro namorado, aprender a dirigir. A pressa de ser tudo isso que os mais velhos são.

Depois só queremos mais e mais.

Temos pressa pra começar logo o ensino médio, e depois queremos que ele acabe num piscar de olhos. Eu fico impressionada com a quantidade de estudantes que ainda não terminaram o colégio e já estão cursando uma faculdade. A pressa pelo diploma e por ser dono da sua vida toma conta de nós a ponto de fazer-nos pular etapas.

Que pressa é essa? E eu me pergunto até quanto de vida vamos perder em troca desta pressa? Em troca de ir logo, não perder tempo. O que é isso de perder tempo?

A vontade de acelerar nos faz achar alguns detalhes e experiências desimportantes e títulos de "perda de tempo". Vamos seguindo um fluxo no qual somos (ou achamos que somos) donos do nosso próprio tempo. Em consequência disso estamos vivendo em um mundo automático, nos tornando pessoas automáticas. Planejamos nossas vidas para ser o mais rápido possível. Tudo precisa ser célere.

Odeio esperar o tempo certo para o microondas esquentar a comida, muitas vezes paro três segundos antes. E pra quê? Já fiz conta nos dedos de quando iria terminar meus estudos. Não quero "perder" 6 meses de faculdade fazendo um intercâmbio, afinal, me formar 6 meses depois é atraso de vida. Não saio de casa no horário do pico do trânsito e às vezes não paro para o pedestre atravessar a rua. É tudo parte de uma vida em que o tempo precisa andar conforme eu queira. É a pressa. Comecei a mudar esse caminho automático que eu estava traçando. Troquei o "agora" por "na hora certa" e a correria pela calma do andar devagar.

De longe, vi que a pior de todas as pressas é a pressa de ser feliz. Ela está nos levando para um caminho bem distante da felicidade. Porque são as pequenas coisas, ou seja, os detalhes, que nos tiram sorrisos; enquanto a pressa nos tira os sorrisos. Quando vivemos muito rápido, acabamos não conseguindo (ou não tendo tempo) apreciar essas miudezas da vida. As simples, aquelas que são verdadeira fonte de felicidade.

Desacelerar não é perder tempo. É encontrar uma forma mais prazerosa de aproveitá-lo. Cada segundo, seja ele bom ou sofrido, vale a pena de ser sentido. Cada etapa da nossa vida e cada sonho que ainda vai demorar para chegar vem com uma coisa muito maior para nos ensinar. E não podemos pular nenhuma lição da vida, para não chegarmos lá no fim com saudades daquilo que não nos permitimos viver porque era perda de tempo.

Prefiro perder tempo vivendo a perder o espetáculo que é a vida por falta de tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design