Assunto proibido


Minha irmã passa a madrugada inteirinha no telefone. Encosto o ouvido na porta, e escuto ela conversar com um amigo:

- Ah, se for pra ficar falando dele, melhor desligar. Ah, porque... Gustavo, se eu te contar um segredo, você guarda? Promete? Bem... É que eu meio que sou louca por ele. Ta, louca eu já sou, mas eu sou louca por ele também. Então ele é um assunto proibido na minha lista. Pode perguntar ao Bruno, eu nunca deixo Bruno falar dele, e olha que todas as histórias que o Bruno vem contar envolvem a criatura. É, minha estranheza me levou a gostar do melhor amigo do meu melhor amigo. Mas é, Gustavo... Tenho um crush. É péssimo, lamentável; uma lástima mesmo. Ele mal fala comigo, cara. Me ignora total, me despreza, sério. Tem nem motivo para eu gostar e eu nem gosto de ter esses sentimentos por ele. Me sinto nos 13 anos. Aquele amor impossível, platônico, não correspondido, com recheio de ilusão. Coisa de criança mesmo, ta ligado? Mas fazer o que? Eu penso nele, meu coração aperta quando percebo que meus sentimentos por ele são uma causa perdida. Eu bem sei que a gente nunca vai ficar junto, e mesmo que ficássemos, acho que não daria certo. Eu sei disso tudo, e nem faço questão dele. Mas meu coração é uma outra cabeça dentro de mim, poxa. Enquanto eu fico tipo "ah, dane-se", meu coração só em ouvir o nome dele se agita. Por isso que não quero falar dele, não suporto nem falar dele. Não por causa dele... Apesar de nunca ter me dado bola sempre foi muito gentil (mesmo eu sentindo raiva dele diversas vezes por ele não gostar de mim como eu gostaria que ele gostasse), ele nunca fez nada de errado comigo. Não gosto toquem no nome dele por causa de mim mesmo, há algo errado comigo. É um conflito interno. Uma luta de MMA e quem ganha resolve se vai continuar ou não gostando do cara. Mas a luta nunca termina. Um saco. Desejar um alguém não correspondido é como cavar  um buraco em seu próprio peito. Quero que chegue logo o dia que vou superar. Apesar de ser dolorido, isso não é um amor sofrido, sabe?? É só uma dorzinha de querer algo que não se pode ter. Eu rio de mim mesma porque gosto dele. Penso tipo: "otária, como tu gosta dele? Ele nem te dá bola!" E respondo: "não sei, mas ele é perfeito", e depois "vai crescer, querida!". É loucura, cara. Sou louca normalmente, sou louca por ele e sou louca porque esse conflito está me matando. Já pensei em contar pra ele diversas vezes, mas no fundo eu ainda tenho essa sensação de que não vale a pena. Apesar de todas as qualidades, ele não é um cara que vale a pena (mas eu o quero ainda assim - e ainda não também). Mas de toda forma, Gustavo, pelo amor de Deus, isso é segredo. Eu sei que vocês são amigos, mas não vai contar nada pra ele porque o cara já se acha, se contar isso ele vai pra lua. Mas agora vamos mudar de assunto, falar de coisas permitidas.

Reviro os olhos e saio. No dia que eu quiser irritá-la, já sei de quem falar. Afinal, se não fossem pelas irmãs, os assuntos proibidos não teriam utilidade nenhuma. O verdadeiro objetivo é tirar a paciência alheia. Um brinde a quem inventou os assuntos proibidos, os amigos e telefonemas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design