Impulso


Amei nesse último mês. Paixão forte, feroz. Ele tem os cabelos cacheados e um sorriso aberto, pra não dizer que o riso é fácil, tem horas que se irrita com a vida e desliga o celular. Quase amanheceu o mês inteirinho. Eu fechava os olhos para não ver o sol nascer já esperando a próxima noite boba, que vinha e me deixava amá-lo.

A vida não acontece devagarinho. É um "puft" e quando a gente pára pra perceber, já amou, se deu, desejou e extrapolou a etiqueta por causa de falsas saudades. Não amei devagarinho, fui com tudo. Ignorei placas de pare, de "vai com calma!" e acelerei pra chegar logo a velocidade da luz.

"Chega de economizar o amor", eu pensava. Me exausta esse papo de não transparecer o que se quer. Não quero contar os minutos para demorar pra responder, muito menos os beijos. Vou visualizar a conversa logo e beijar a noite inteira.

Comigo não existe mais essa velha história de medo de me machucar. O medo agora é de não me deixar amar. A partir de então, me deixo amar e podem me amar o quanto quiser. Amei nesse último mês e podem ter certeza que vem muito mais amor pela frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design