Meu lado direito


Isso não é vida. Dor não é vida. E juro que tento me lembrar como é viver. Sofrer é um canto de amor, mas quando o sofrimento chega na dor desesperadora de ungir o núcleo de todo o corpo, não é vida. Não é amor. Não é paz, nem mesmo sofrer. É dor.

E, diante dessa eterna sensação de dor, e do quanto ela cresceu mais do que eu na vida, eu me preparo para abortar toda a minha felicidade de amanhã. Já sei que acordarei com dor. É desses pesadelos que parecem nunca, jamais, acabar.

Nesse dia a dia insosso e insolente o que me preocupa é não poder descansar desse gemido que dói os ouvidos. Sem parar. É dor. Não é vida. A vida se deleita onde a dor há de se estancar. Sem logo assim, sei que ela vai passar porque eterno não há de ser aquilo menor que impossível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design