Novo amor antigo


 Se o interfone tocasse e fosse você, eu prenderia meu cabelo em um nó e colocaria aquelas havaianas vermelhas e o vestido florido para atender a porta. Chegando lá, você comentaria sobre o porteio que mesmo depois depois de todos esses anos ainda está trabalhando no meu prédio e que ele ficou feliz em te ver. Eu odiava quando você dizia que ia pra casa e o porteio roubava mais meia hora do seu tempo pra falar bobagem, mas adoraria saber que antes de subir até o quinto andar vocês falaram sobre o azulejo novo do prédio e outras mudanças que aconteceram por aqui enquanto você não estava por perto.

Pediria para Deus que me desse um minuto para olhar todas as feições do seu rosto e a barba que você deixou crescer. E o nosso primeiro abraço ia ser bem simples, pra saudade permanecer em cada um de nós quando sentássemos no sofá pra conversar. Sem duvidas, eu faria silêncio pra você olhar a sala de estar que pintei ano passado e o porta retrato que não tem mais a sua foto, mas uma minha sozinha em uma viagem para a Argentina no começo desse ano.

E eu sei que temos muito a desculpar um ao outro e muito pra perceber um no outro, mas o que eu ando curiosa pra sentir é o seu cheiro, porque sei que a um ponto desses o perfume que te dei no primeiro ano de namoro já se acabou. Então ia ficar bem de perto pra sentir o novo você e falar um pouco de tudo que me aconteceu enquanto você não estava aqui, talvez nem querer saber todas as pessoas que te fizeram feliz esse tempo eu quero, mas ouvir sua voz que já estava adormecida dentro de mim vai fazer bem.

Depois de tantas palavras, um beijo cairia bem e eu te daria o anel que ainda guardo pra você me devolver quando sentir que é a hora certa. Iríamos, juntos, prometer apagar tudo o que passou, para podermos construir um "nós" novo porque eu já não mais sou a mesma, nem você, embora o sorriso permaneça lindo. Por fim, espero que goste da mulher que me tornei e saiba que, apesar de não estar perto pra ver, teve de suas mãos em muito de cada dia que vivi. Um dia eu já disse que te amava, e isso era real. Mas não vou repetir as mesmas palavras porque elas falam de um amor velho, que passou. A partir de agora, vamos construir um novo "eu te amo".

2 comentários:

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design