Ponto de vista


Ele me disse que o amor aconteceu pra ele. Tarde, e doentio. Há de se queixar da abstratividade dos efeitos dessa droga que causa alucinações e insônia, dentre tantos outros efeitos que não podemos medir a extensão. Amar faz a gente sair de si. Ficar em outrem, um amado. Amar nos desenvolve um medo como se não já trouxéssemos o suficiente da nossa infância. Amar não é bom. Amar corrói e arrasa. Mesmo que tarde, mesmo que depois de toda a parte boa da juventude, ele aceitou o convite pra amar. Fora da idade e da língua de origem.

Ele me disse que o amor aconteceu pra ele. Tarde, e intenso. Há de se descobrir a abstratividade dos efeitos desse sentimento que nos leva a sonhar e passar noites em claro, dentre outros prazeres que não podemos medir a extensão. Amar faz a gente sair de si. Ficar em outrem, o amado. Amar nos dá um novo significado e um medo, renovando a nossa infância. Amar é bom. Amar constrói e abrasa. Ainda que tarde, renova nossa juventude, então ele aceitou o convite pra amar. Viver uma nova idade e língua de origem.

2 comentários:

  1. Lindo !!! Esse é um daqueles endereços da WWW em que a gente atira no que viu e acertou no que não viu. Amei a fluidez do poema, amei a página.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, Jose Carlos!

      Excluir

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design