Ele tem olhos verdes


Me conte uma história, distraia minha cabeça, me faça pensar em qualquer coisa que não seja as quatro paredes da minha vida. Pode sorrir mais porque seu sorriso é tão bonito que me faz bem. Ele me faz lembrar todas as vezes que eu fechei os olhos e fiquei imaginando você. Nunca foi real, mas era bom pensar nos seus olhos claros e seu jeito independente de sentir o mundo.

Eu lembro do seu cheiro mesmo quando você não está aqui. Isso é uma contradição da vida, porque às vezes eu tento te esquecer logo. Você fica fazendo jogo e eu fazendo um cais dentro de mim. Diz logo que me quer ou não. Ou se te sirvo apenas para as horas vagas. Mas me contento dessa forma porque meu passa-tempo tem sido decretar falsos beijos em você. Seus lábios são tão vermelhos que me dão arrepio. Eu desenharia eles na minha boca, no meu queixo e no meu corpo.

Enquanto meu mundo se faz em você, tudo o que fazes é me olhar com esses olhos claros, verdes como uma esmeralda que brilha, seduz, mas não se deixa ser consumida. E ficas falando mais uma de suas histórias - embora a meu pedido - que nunca se repetem e me deixas à beira de um abismo encalhado na minha própria vida que não se resume a ser sua, mas somente a um desejo que não é calculado em você, resultando na inexatidão das formas as quais meu corpo se preenche do seu e, assim, seguimos sendo nada. Não deduzíveis. Assim como esse sentimento que aflora em mim por você.

Ps.: me dei conta de que não posso exigir reciprocidade se nem sei o que sinto, então desconsidere algumas palavras.
Ps.2: pare de falar e me beije.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design