Metáforas de amor



Estou procurando uma explicação. Alguém que esclarecesse esse mar de amar que inundou meu coração, pois já não tenho palavras pra expressá-lo. Naufraguei em teu peito e lá fiquei. Não tem quem me tire desse ecstasy em que você me deixou; dopada de você e com sede de mais. Estou rebobinando a fita cassete pra ver seu sorriso de novo enquanto você não está aqui. E aquele momento que durou mais de um segundo, que dura até hoje em mim é segredo profundo no meu peito, embora seja manchete do meu sorriso.

Nunca fui serena e mesmo assim me fazes mulher quando me olhas. Não sou merecedora de teu calor, mas você me tirou do frio. Não há no que se falar, se não amor, ou não sei listar todas as circunstâncias que a vida criou antes de nos olharmos olho no olho, alma na alma. E tudo o que eu tente falar só sai na língua entre os beijos que fazemos questão de dar. E se deixar. Em suma, sim, eu me deixei em ti. Não vou negar porque já está claro que no escuro me entreguei por completo.

Te deixei envolver-me com teus braços e você espetou em mim toda a paixão que eu esqueci de sentir nas noites passadas. E agora está tudo alagado; jorra teu amor e o meu amor por ti. E depois de morrer afogada em você, eu prometi que viverei pra te fazer feliz. E este é o meu desejo mais profundo (já que os superficiais você há de me saciar): quero que você seja feliz até o fim da sua vida. E por todos os dias que eu puder ou não puder, quero estar ao seu lado pra te lembrar de sorrir mais uma vez. Afinal, é isto que lembro quando olho pra você: a vida sorriu pra mim desde que você apareceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design