Como superar um sofrimento


Algumas pessoas me perguntam, admiradas, como eu consegui sobreviver ao sofrimento que, junto com minha família, passei no fim do ano passado. Não existe resposta pra isso na verdade, primeiramente, porque acredito que não exista dor que não seja suportável neste mundo; em segundo porque não há explicações para as superações que vivenciamos na vida.

Vale a pena refletir, logo de início, que precisamos ver o sofrimento como uma experiência intransferível e inimaginável. Desejei, muitas vezes, passar pelo sofrimento de lutar contra um câncer no lugar do meu pai, mas eu bem sabia que não importava o quanto eu desejasse, aquele era o sofrimento dele, não meu. O meu era outro. E não podemos comparar angústias. Cada um vive, no seu tempo, sua aflição, e não existe problema maior ou menor.  Não podemos, também, sequer imaginar como seria se passássemos por aquela situação. Claro que sempre fica aquela reflexão "se fosse eu...", mas na "hora H" a gente reage de uma forma diferente de todas as possibilidades que traçamos no nosso pensamento.

No entanto, o de mais importante que há de se pontuar sobre as dificuldades que enfrentamos é que a gente supera. Se você está lendo isso é porque você superou. É possível superar, por isso que julgo não ser plausível dar explicações ou elaborar receitas de como enfrentar o sofrimento. A gente se desdobra, insiste, persevera e vai vivendo um dia de cada vez pra não perder o fôlego. 

Pra não ficar o gostinho amargo de não saber como superar tudo isso (e cada um que sabe o que é o seu "tudo isso"), precisamos lembrar que não somos as únicas pessoas do mundo que passam por situações complicadas na vida. Não somos as primeiras, tampouco as últimas. Se olharmos rapidinho ao nosso redor, vamos ver que cada um carrega um pouco de um fardo e que, ao ajudar alguém com seu pesar, acabamos por aliviar o nosso pelo simples motivo de absorver que não estamos sós. E ao proporcionar ao outro essa mesma sensação de não estar sozinho, nos sentimos úteis e isso é uma importante ajuda para nos levantarmos pra enfrentar os problemas. 

Não vou afirmar que é simples, fácil ou indolor. Pelo contrário, é uma trilha complicada e que, por vezes, parece não ter fim. Mas tem uma coisa que não tirei da minha cabeça em todo o momento: só não consegue o que quer, quem desiste. A palavra-chave é esperança; mas não de ficar esperando sentado as coisas melhorarem, e sim, de ter esse brilho no olhar de que tudo vai mudar, mesmo no momento de dificuldade. E depois de passar por tudo isso, a gente lembra de agradecer e celebrar a vida, claro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design