É preciso querer amar


Semana passada me questionaram como saber que ama. Bem, eu sei que a fase do namoro tudo é lindo, maravilhoso e simples, e, aos poucos, as coisas complicam e no aperto a gente nem sempre tem fôlego pra amar. Mas, embora seja impossível definir o que é o amor, em poucas linhas vou dizer minha experiência, de como eu sei que eu o amo e que vou passar o resto da minha vida com meu amor.

Amar é querer amar. É o desejo ardente de sentir aquele frio na barriga por mais 20, 30 anos. Amar é o que lhe faz quer casar e ter uma família, mesmo que em um futuro bem distante e incalculável. Vejam que pra ter razão do amor basta que a gente queira. É o primeiro passo. Eu quero amar, eu quero passar o resto da minha vida amando.

Claro que a gente não tem como prever se vai ser machucado no futuro, se vamos nos decepcionar; a gente não conhece o outro por completo. E isso vale pra 2 meses ou 20 anos, mesmo que a gente (ache que) conheça o outro na palma da nossa mão, ainda assim é uma surpresa o que se passa dentro do amor da sua vida.

Eu percebi que amava quando eu me encontrei disposta a amar e de descobrir tanto as coisas maravilhosas quanto as desagradáveis que são inertes a todos nós e continuar amando. Eu percebi que amava quando sentia um desejo ardente de viver o resto da minha vida em um abraço. E o mais importante: quando me vi na coragem de enfrentar o risco de estar amando alguém que, embora me ame demasiadamente (como ele diz), possa me machucar no futuro.

Quando a gente se doa pra alguém claro que corre esse risco. Mas a graça da vida não é viver escorado em certezas, e sim, ter surpresas dentre os passos da vida.

Posso ler isso daqui a 1 mês ou 10 anos e pensar: "amei, e não deu certo". Não quero ser banal com o amor, mas só porque relacionamentos acabam não significa que eles não deram certo. A gente ficou junto por tanto tempo com alguém e quando acaba quer dizer que não deu certo. A gente dá certo por muito tempo, até que o amor se esvai. Seja por um coração machucado ou que o querer amar passou, a gente termina um relacionamento e sofre pra caramba se culpando por ter amado à toa. Mas precisamos é desconstruir essa ideia: amar nunca é em vão! Quando a gente ama o outro a gente apreende o que de bom ele tem e satisfaz nossa vida com isso. Amar nos constrói pessoas melhores, porque é um sentimento puro é genuíno.

Então depois de se recuperar de um baque de um amor que deu certo, mas cessou, a gente levanta e parte em busca de outro amor... levando apenas os aprendizados deixamos por ele; sem mágoas, dores ou reservas. Ter a oportunidade de amar mais uma vez é como ressuscitar e viver um novo dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design