Não é você, seus olhos disseram


Você mudou. Está diferente; não é mais você. Hoje eu sequer reconheço o que você se tornou porque tenho convicção que nada disso é você. E eu te olho, sem nem te enxergar, e me pergunto o que aconteceu, pois você costumava ser a pessoa mais doce, íntegra e dedicada do mundo, era até certa de si, e hoje não vejo certeza nenhuma nos seus olhos. Nem felicidade.

Eu lembro de ouvir sobre suas inseguranças diversas vezes e até me perguntei se era isso o que tinha mudado, mas acho que não. Aparentemente você mascarou-as. Provavelmente até acha que superou aquelas incertezas da vida, mas veja bem se foi isso mesmo.

Eu posso até estar parecendo um pouco incisiva. E também indecisa do que acho ou não. Tudo o que eu estou falando é ponto de vista, mas um ponto que a antiga você consideraria em ouvir. A nova, talvez não. E essas dúvidas só permeiam dentro de mim porque não conheço mais você, então não me atreveria a fazer afirmações sobre o que você está passando. Só especulações. Mas você mudou. Essa não é você. Não é você, seus olhos me disseram.

Entretanto, independente de qualquer mudança que você possa estar vivendo dentro de você, inclusive aquelas que não meu ponto de vista não são positivas, a única que me incomoda é o seu olhar. Ele mudou até demais. Você não é mais feliz. Essa sim é uma e a única afirmação. Seu olhar não refletir a si, tudo bem, só que ele não reflete sequer felicidade. Nenhuma. Isso sim me incomoda. Me desculpe por te falar, sei que uma hora você iria perceber, mas tive que falar.

Não precisa concordar comigo.Só se olhe no espelho e pergunte a sua imagem refletida, olhando bem nos olhos dela: você é feliz?

Depois, não se prive de chorar e não se culpe ou evite me ligar, pois eu atenderei. E eu entenderei. Eu sempre entendi, lembra disso? Todas as vezes que você precisou ser compreendida, eu compreendi. Espero, inclusive, que me compreenda agora e entenda minha preocupação com você. A verdadeira você. E saiba, por fim, que nunca é tarde pra nada, muito menos para ser feliz, de novo. Ou pra ser você, de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sujeitos a moderação.
Será excluído qualquer comentário que declare preconceito ou que seja ofensivo e pejorativo.

CF/88: Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Camille Reis. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design